29 de março de 2022 5 motivos para incluir a proteína suína na dieta

5 motivos para incluir a proteína suína na dieta

5 motivos para incluir a proteína suína na dieta

Através do avanço das pesquisas nutricionais, muitas visões erradas acerca de vários alimentos vão sendo desmistificadas. Atualmente existem inúmeras dietas que podem ser aplicadas para cada pessoa, com base nos resultados esperados por cada um, que vão além da perda de peso, mas incluem também a prevenção de doenças futuras.

Hoje as formas de avaliação dos resultados na saúde variam de pessoa para pessoa, levando em conta o biotipo, a facilidade de perda de peso com certos alimentos, a avaliação de gordura corporal, a restrição calórica de alguns nutrientes, os possíveis fatores que podem afetar a perda de peso, entre outros. O resultado na balança está longe de ser a única resposta para uma dieta eficaz.

Um dos maiores desenvolvimentos de pesquisa realizados nos últimos anos foi o avanço da ciência acerca de dietas que priorizam o consumo de proteína e diminuem a ingestão de carboidratos, comuns no dia a dia padrão da população brasileira, com o prato mais tradicional da nossa culinária, o feijão com arroz. De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) em pesquisa divulgada no ano de 2019, a carne suína foi a proteína animal mais consumida no mundo, com cerca de 42,9% do consumo mundial.

 Essa nova forma de olhar para a dieta traz a possibilidade de adição da carne suína no cardápio de quem quer ter uma vida mais saudável. Antes tida como vilã incontestável, hoje ela está presente em muitos planos alimentares de nutricionistas. Confira 5 motivos para incluir hoje mesmo a proteína suína na sua dieta.

Ótima para dietas lowcarb

De tempos em tempos surgem dietas que prometem realizar uma mudança drástica em quem as segue. As dietas lowcarb (baixo carboidrato, em tradução livre) ganharam força nos últimos anos por apresentar bons resultados no curto prazo e, com isso, se tornaram as mais buscadas por quem quer perder peso de maneira rápida.

A dieta consiste na diminuição do consumo de carboidratos simples, chamados de açúcares, que são facilmente absorvidos pelo organismo para a produção de energia rápida, mas, como sua digestão é também rápida, é alta a chance de serem convertidos em gordura no organismo.

Com a dieta, o objetivo é a substituição por uma pequena quantidade de carboidratos complexos, aqueles que possuem uma grande cadeia de aminoácidos e, por isso, demoram mais para a digestão. Acima de tudo, a melhor substituição é por proteína, que tem a digestão ainda mais lenta e, portanto, muito mais difícil de virar gordura no corpo.

A carne suína é uma ótima fonte de manutenção da massa muscular, sendo uma importante aliada no ganho muscular e na promoção do envelhecimento saudável, através do Ômega 3, presente nos cortes suínos.

As dietas lowcarb podem variar de resultados, portanto consulte um nutricionista antes de começar a cortar nutrientes do seu dia a dia. Caso seja receitada para o seu caso, é possível colocar a carne suína nas principais refeições do dia e aproveitar os melhores cortes da Alegra.

Diversidade de sabores

Uma das principais dificuldades de quem inicia uma dieta é a restrição alimentar, que pode resultar tanto em uma pequena variedade de alimentos disponíveis quanto na diminuição de quantidades estipulada pelo profissional de nutrição.

Em todos os casos, uma das reclamações é a falta de diversidade nos sabores. Com a inclusão da proteína suína na dieta, é possível contornar esse problema. Aquela pequena quebra na rotina é perfeita para manter a motivação de uma dieta duradoura, pois, se todos os dias as suas refeições forem as mesmas, uma hora você vai enjoar da proteína que é ingerida o tempo todo e, consequentemente, perderá o foco na dieta.

Diversificar sabores, aprender a escolher o que come, cozinhar o próprio alimento e ter consciência de tudo o que está no seu prato é uma forma de gostar da sua alimentação. Alternar entre o tradicional bife bovino e a carne suína é uma motivação extra para a sua dieta.

Variedade de cortes

O catálogo da Alegra conta atualmente com mais de 90 cortes disponíveis, que tornam qualquer dieta muito mais saborosa. Separados em 13 categorias, os cortes vão desde embutidos até produtos in natura, temperados, com diferentes tipos de linguiça, defumados e a linha de cortes premium, para todos os gostos.

Ao iniciar a dieta, é importante saber toda a gama disponível de alimentos no cardápio. Portanto, quanto maior a variedade de cortes disponíveis melhores são as combinações de pratos para o dia a dia.

Conheça o catálogo e saiba qual será a combinação da sua próxima refeição, seja uma feijoada fitness ou até um corte grelhado com salada, para manter o ritmo da dieta.

Bom preço sem perder a qualidade

O preço da carne tem sido um dos principais fatores do aumento geral nos preços de produtos presentes na alimentação tradicional do povo brasileiro, com cortes chegando a uma taxa de 25% de inflação durante o ano de 2021. Por isso, é importante pesquisar os preços e expandir o cardápio para novos pratos, como a carne suína, que tradicionalmente é mais barata, devido ao processo de produção, e mesmo com o recente aumento geral nos preços se mantém competitiva no mercado.

Com uma variedade de cortes que podem ser encontrados com o selo de certificação da Alegra, todos os produtos que saem da fábrica e chegam à sua mesa passam por um rigoroso controle de qualidade. A Alegra prioriza o cuidado, pois todos os envolvidos no processo de produção vão consumir os mesmos produtos que o cliente final.

Antigos mitos de que a produção suína tinha menos cuidados que a bovina já foram derrubados. Todas as indústrias de produção de proteína animal passam pelos mesmos testes e a Alegra, uma das maiores empresas do Brasil no ramo, é constantemente testada e aprovada nos mais diversos controles de qualidade do país.

Mesmo com o preço tradicionalmente mais baixo, a qualidade não é deixada em segundo plano, principalmente porque a Alegra tem a meta de que os brasileiros tornem a carne suína um hábito na rotina alimentar.

Você pode notar essa diferença até nos cortes premium do catálogo da Alegra, que, quando comparados com os equivalentes de carne bovina, se mostram com preços muito mais competitivos.

Rica em nutrientes e sua gordura traz menos problemas que gorduras hidrogenadas

Assim como já foi dito no início deste texto, a ciência nutricional avançou muito nos últimos anos e várias crenças tradicionais foram descartadas pela medicina.

De acordo com pesquisas, as gorduras hidrogenadas, chamadas também de gorduras trans, podem ser até três vezes piores que a gordura encontrada na carne suína, conhecida como gordura saturada. A gordura trans, além de aumentar os níveis de colesterol LDL (chamado popularmente de “mau colesterol”), também é responsável por reduzir o HDL (o popular “colesterol bom”). As pesquisas não indicam que as gorduras saturadas afetem o HDL.

A gordura presente na carne suína traz nutrientes como as vitaminas do complexo A, E, e do complexo B, além de minerais como selênio, potássio, magnésio, cálcio, fósforo e ferro. Contém ácidos graxos do tipo Ômega 3, responsável por combater o envelhecimento.

É claro que o consumo depende muito de pessoa para pessoa e da forma de preparo de cada alimento. É importante lembrar que o excesso de sal e de frituras pode levar a muitos problemas no futuro, como hipertensão e obesidade.

Durante muito tempo todas as recomendações eram focadas na diminuição da carne vermelha no cardápio, porém, após muita pesquisa e envolvimento da ciência, o papel da carne como vilã não é mais aceito pelos especialistas. Acredita-se, ainda, que haverá muito mais benefícios no consumo de carne suína que serão descobertos com o tempo. Há menos de 10 anos, seria muito mais difícil defender a inclusão de carne suína na dieta, mas, com a tecnologia nos processos de produção e principalmente na área nutricional, é possível afirmar que a carne suína é uma grande aliada em vários tipos de dieta.

Tags:

Comentários

Você também vai gostar das publicações abaixo: